sábado, 30 de agosto de 2014

Dix-sept Rosado
Demora em entrega da Escola de Educação Infantil prejudica 200 crianças



A população de Governador Dix-sept Rosado continua sendo prejudicada com a demora na execução das obras da Escola de Educação Infantil. Com 95% por cento da construção realizada na gestão da então prefeita Lanice Ferreira (entre 2011 e 2012), a conclusão da obra depende da atual administração, que está em curso há um ano e oito meses.

A depredação das estruturas das instalações da escola, em episódio recente, teria sido mais um motivo para protelar a entrega da unidade.

A Escola de Educação Infantil é uma realização, quase 100% do Governo Federal, com recursos de R$ 1.303.161,47 do Programa Nacional de Reestruturacão e Aparelhagem da Rede Escolar Pública de Educacão Infantil - Proinfância. A contrapartida do município é de R$ 13.163,25

A então prefeita de Governador Dix-sept Rosado, Lanice Ferreira, assinou no dia 21 de julho de 2010, uma terça-feira, convênio junto ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE)/Ministério da Educação (MEC), para a construção escola de educação infantil.

Para garantir ensino de qualidade, a escola tem área construída de 1.211,92m², sendo composta de recepção, secretaria, diretoria, sala de reuniões/professor, cozinha, despensas, depósitos, lactário, lavanderia, rouparia, vestiário, salas de aula, laboratório de informática, espaço para amamentação, sala multiuso, sala para repouso, refeitório e recreio coberto e playground.

Com o atraso da conclusão da obra e da entrega da escola à população, pelo menos 200 crianças são prejudicadas, pois deixam de ter acesso a uma unidade com estrutura e ensino de qualidade.

A escola modelo fica localizada no largo da Rua Josué Dias, ao lado da antiga Estação Ferroviária, em terreno doado pela extinta Rede Ferroviária Federal (RFFSA), na gestão do ex-prefeito Gilberto Martins. 

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Faleceu Tia Dita, 
matriarca da família Pereira de Medeiros

Foto: Nos momentos mais difíceis da vida, vemos o quanto uma família é importante; vejo, paro analiso.
vovó Dita na situação que esta hoje com uma idade pra poucos 91 anos 
deitada numa cama de um hospital.
Vejo como nossa família é unida, vejo os netos e os bisnetos todos ali querendo ajudar de alguma forma.
tendo hoje uma quantidade de BISNETO sendo 40....
e sendo uma das poucas a chegar a ver dos 02  TATARANETOS.
Sendo nossa matriarca... Somos grato pelo que fez por nos da família a todo esse tempo.
A Fé esta em todos nos, e Deus dará mais anos de vida a senhora.
"Uma vida sem desafios não vale a pena ser vivida."

Aconteceu nesta segunda-feira, por volta das 17 horas, o sepultamento do corpo da aposentada Expedita Luzia de Medeiros, no cemitério São Sebastião, em Governador Dix-sept Rosado. 

Tia Dita, como era conhecida, era agropecuarista no sítio Rancho da Velha, no município de Governador Dix-sept Rosado. 

Viúva do saudoso produtor rural Joaquim Pereira de Medeiros, era mãe de Antônio Pereira, Zilda, Mazeca, Bastinho, Zuleide, Gilvan, Francisco Chagas (Chaguinha) e Gilveran.

Mesmo depois da perda do marido, conhecido como Quinca, Tia Dita preferiu permanecer no campo, junto com parte de seus filhos, dedicando-se à criação de caprinos e a produção agrícola. Foi assim até os últimos dias de sua vida.

A matriarca dos Pereira de Medeiros tinha 42 netos, quarenta e um bisnetos e dois trinetos. 

Tia Dita faleceu no último domingo. 


segunda-feira, 11 de agosto de 2014


Professores retornam a sala de aula, 
após greve

O juiz Nilson Roberto Cavalcante Melo deferiu liminar no sentido de determinar aos professores da rede municipal de Governador Dix-sept Rosado o retorno imediato ao trabalho, sob pena de pagamento de multa diária no valor de R$ 1.000,00 ao Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (SINDIXSEPM). Diante da resolução, em assembleia na manhã de ontem, 4, os profissionais decidiram retomar as atividades hoje, 5. A paralisação foi deflagrada em 25 de julho.
Para o magistrado, o movimento não atendeu o disposto na legislação que disciplina a greve, no caso, a Lei 7.783/89. Além disso, o juiz considerou que a paralisação das aulas ocasiona transtornos imensuráveis e prejuízos concretos à população, em especial às crianças e adolescentes.
Os professores reivindicam implementação de um terço da carga horária para atividades extra-sala, mudança de nível e referência e auxílio-transporte. Everaldo Alves, tesoureiro da associação que representa a categoria, disse que o sindicato estava evitando se pronunciar sobre a decisão judicial, uma vez que não tinha sido notificado oficialmente. “Os pedidos dos professores são legais. Pretendemos fazer a defesa da categoria”, declarou.
De acordo com a Prefeitura de Governador Dix-sept Rosado, outros pontos fundamentais serão analisados, quando da prolação da sentença de mérito, como a impossibilidade legal do município em atender aos reclames financeiros da categoria, pois, além de já investir mais de 85%, em média, da verba repassada pela União para o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação apenas com a remuneração do magistério, ainda está com o limite de gasto com pessoal além do permitido pela Lei de Responsabilidade Fiscal, em virtude das constantes diminuições de receitas.
De acordo com o secretário de Planejamento, Jeoacaz Gomes, a Prefeitura considera as solicitações da categoria justas, mas tem encontrado dificuldades, até mesmo para administrar o município, devido à falta de recursos.
“Em todo Brasil está havendo um declínio de repasses financeiros. Governador sofre com a escassez de recursos a ponto de o Executivo municipal não descartar corte de funcionários comissionados. As reivindicações são justas, mas temos muitas dificuldades quanto a recursos. Além disso, a mobilização dos professores é de cunho político. Eles sabem que não temos condições de atender todas as demandas”, salientou.
Everaldo diz que os professores rejeitam as alegações da Prefeitura para não atender as reivindicações. “Refutamos as justificativas do município para não atender o pleito dos profissionais da educação. Vamos buscar outras formas de lutar. Além disso, vamos repor todas as aulas e esperamos que a Secretaria veja a melhor forma para executar esse processo”, disse.

Publicado na terça-feira, 05 de Agosto de 2014.